Por que, apesar de tantos esforços, os alunos fracassam na escola?

Loading...

Marcadores

BEM VINDOS AO BLOG ESPAÇO EDUCAÇÃO!

OLÁ!
FICO MUITO FELIZ DE PODER ESTÁ PARTILHANDO ALGUNS TRABALHOS REALIZADOS E PODER CONTAR, TAMBÉM, COM A CONTRIBUIÇÃO DE TODOS.

BEM VINDO(A)!

Pesquisar este blog

domingo, 18 de outubro de 2009




A contribuição da escola psicanalítica ao processo pedagógico – Reflexão

De acordo com o dicionário Aurélio, a psicanálise é um conjunto de métodos capaz de investigar experiências emocionais passadas, determinando seu papel na atual vida do paciente, ao passo que orienta para medidas psicoterapêuticas.

Apesar de este conhecimento ter sido aplicado inicialmente no campo terapêutico, não demorou a ser utilizado no âmbito educacional no sentido de compreender as nuanças do desenvolvimento humano e suas implicações na construção do objeto cognoscível. O fato de Freud destacar o ato de educar como tarefa abstrusa, sem alcance de realização plena, pode minimizar a angústia de muitos professores diante das dificuldades de aprendizagem no contexto escolar. Por outro lado, o que ele chamou de “aprendizagem por identificação” implica na responsabilidade docente cuja formação pedagógica deve estar fundamentada nos parâmetros cognitivos, afetivos e sociais. Estes parâmetros, a luz das idéias freudianas, estão tão interligados que quando acontece qualquer desequilíbrio em um deles reflete diretamente no pensamento e na aprendizagem.

Conhecer as fases da construção da identidade propostas por Erikson significa ter visão clara sobre o desenvolvimento e o comportamento do indivíduo, em decorrência dos conflitos vividos nos contextos sociais, nem sempre superados. Se o sujeito não encontra os meios necessários à evolução dos seus níveis maturacionais em quaisquer das fases de seu crescimento intelectual pode repercutir negativamente em seus processos de aprendizagem.

Considerando o exposto anteriormente, entendemos que a aprendizagem se constitui a partir do ensino e das referências que o sujeito tem, seja no contexto familiar, escolar ou social. Um aspecto importante é ter um olhar individualizado para cada educando, utilizando-se do bom senso para auxiliá-lo no controle de seus impulsos, com vistas aos quatro pilares da educação: aprender a ser, aprender a conhecer, aprender a conviver e aprender a aprender, como previu o relatório da Unesco.

Neste ínterim, os conhecimentos psicanalíticos ajudam na reflexão dos educadores sobre a própria dificuldade em educar, visto que o processo de aprendizagem está fortemente atrelado aos processos culturais.

Professora Vera Lúcia Pontes Laurentino da Silva

Pedagoga, pós-graduada em Gestão e Planejamento Educacional,

pós-graduanda em Tecnologias em Educação pela Pontifícia Universidade Católica

do RJ.

Nenhum comentário:

Postar um comentário